anime e mangá, Sem categoria

Assista a “Nana opening Rose legendado” no YouTube

Saudade de Nana, um baita anime/mangá que eu li e assisti faz muito tempo. Uma pena ainda não ter um final.

Talvez um dia comente sobre ele aqui no blog, porque a história é ótima. Um dos melhores romance que eu tive o prazer de ler e assistir.

Anúncios
música, Sem categoria

Assista a “Scorpions – Believe In Love” no YouTube

Redescobrindo Scorpions. Sempre gostei muito da banda, mas fazia um bom tempo que não ouvia. É muito bom quando você redescobre a banda e vai ouvindo músicas que você não conhecia ou nem lembrava mais. O mais legal é que eles estarão no Rock in Rio do ano que vem. 🙂

literatura, Livros, Reflexões, Sem categoria

A revolução dos Bichos

images (32)

 

 A primeira vez que eu li esse livro foi num texto adaptado num livro didático da escola, que  contava a história como uma fábula tradicional indo do começo ao fim numa linguagem bem simples para o entendimento de uma criança.  Só consegui ler o livro em texto integral há três anos. Tem uma adaptação dele em desenho animado e não lembro se tem algum filme.

Na história os porcos se reúnem e fazem uma revolução para tirar o fazendeiro do poder. Quando eu li o texto integral senti os capítulos voarem, ainda mais que é um texto muito divertido com um humor muito presente. O livro foi escrito na época da ditadura de Stalin, mas continua muito atual, ainda mais no slogan das ovelhas ‘’Quatro patas bom,duas patas mau’’ que lembra e muito certos grupos que se dizem ativistas disse e daquele grupo  e representantes dos oprimidos. Parece que os porquinhos Napoleão da vida real sempre têm o poder de enganar o povo dizendo que os libertou de tiranos, mas na verdade escraviza o povo sempre lembrando de como era ruim na época do antecessor. E  o povo acaba se comportando como o velho cavalo da história aceitando a escravidão e trabalhando muito mais e recebendo pouco ou nada, mas ainda assim acreditando nas palavras do ‘’grande líder’’.

Uma das frases mais geniais de todos os tempos vem justamente desse livro : ‘’Uns são mais iguais que os outros’’ coisa das ditaduras comunistas,nazistas e de qualquer grupo que queira poder e se traveste de defensor de uma causa usa para enganar o povo, dando migalhas ao povo, enquanto goza de uma boa vida regada a dinheiro e todos os prazeres que o dinheiro traz.  Eu não sou uma grande especialista em História, mas percebi que toda autocracia prega uma suposta igualdade entre os homens e que está fazendo tudo de acordo com os interesses do povo e esse argumento é a justificativa para todo o tipo de atrocidade.

Não entendo porque livros  como ‘’ A revolução dos bichos’’  e outros clássicos não são leituras  obrigatórias nas escolas brasileiras. ‘’ A revolução dos bichos’’ tem muito do que vem acontecendo no Brasil e no mundo com jovens que dizem não ter fé religiosa venerando políticos como deuses, por isso esse livro seria uma literatura perfeita.

Francamente não gosto da visão de que um adolescente brasileiro não tem maturidade para esse tipo de leitura, para mim isso é subestimar o aluno a também os professores. Acho que as pessoas deveriam ler esse livro em qualquer idade, porque é um dos grandes clássicos da Literatura sem dúvida e faz as pessoas refletirem sobre a política e ideologias coletivistas.

A revolução do bicho tem um dos melhores finais da Literatura Mundial onde não se diferenciava mais porcos de homens  e nem homens de porcos.

Livros, Sem categoria

A parte obscura de nós mesmos

download (3)

Um livro bem interessante que causou uma certa polêmica aqui em João Pessoa, porque ele foi relacionado ao caso da família  morta e esquartejada por um parente na Espanha. O jovem que deu ao assassino a ideia de desmembrar os corpos das vítimas   tinha esse livro. Confesso que fiquei curiosa com esse livro por causa do caso.

 

Bem o livro não faz uma apologia ao mal, como alguém pode pensar ao ler o título, mas relata a história da perversão, que inclui alguns religiosos e perversos famosos como o Marquês de Sade e os nazistas e também a ciência moderna. A autora, segundo o que eu li, é uma especialista em história da psicanálise e é bem conceituada.

 

O livro relaciona o gozo com o mal e vontade de destruição do próprio corpo e do corpo de outras pessoas com aspirações espirituais e também como fonte de prazer sexual. Também relaciona algumas ideias defendidas na atualidade com a perversidade, como a igualdade de tudo e todos a qualquer custo. A autora na verdade reforça que devemos ter uma noção do que é pervertido, pois quando essa noção acaba a civilização cai.

Uma coisa me chamou muita atenção sobre esse livro foi o questionamento sobre a nossa suposta liberdade atual, onde todos sentimentos e desejos são classificados e estudados como doenças, que podem ser tratadas e curadas.

Fiquei impressionada os  relatos de pessoas tidas como santas que castigavam seus corpo o próprio corpo supostamente para servir a Deus, mas também poderiam sentir gozo com a própria dor. O que me impressionou nesses relatos é que talvez essas práticas de autoflagelação em nome da fé, pode ter sido uma das primeira perversões do cristianismo. Na verdade Cristo quer o nosso amor e não nosso sacrifício, porque a real doutrina cristã é o amor.

Pretendo fazer em breve uma releitura desse livro e ver se as minhas impressões estão certas.

 

literatura, Livros, Sem categoria

O colecionador

images (2).jpeg

Resolvi fazer uma releitura de “ O colecionador” de John Fowles. O livro conta história de  Frederick, um homem tímido e ridicularizado pelos colegas de trabalho, que tem hobby de colecionar borboletas, Frederick tem uma paixão platônica por uma estudante de Arte, Miranda, e quando ganha na loteria resolve sequestrar a moça para que ela se apaixone por ele.

Esse é com certeza um dos melhores livros que eu já li na minha vida. Conheci a história quando o filme foi citado num dos livros do Marcos Rey. E mesmo já conhecendo o final gostei muito filme, pois o livro conta o desfecho da trama. E depois de muito tempo consegui o livro na Estante virtual numa edição de 1964. Na verdade eu só fui saber que também era um livro pelo Youtube acho que da Tatiana Feltrin. E na minha opinião tanto o livro quanto o filme são ótimos e o filme bem fiel ao livro.

Tanto no filme quanto no livro senti uma certa simpatia por Frederick o protagonista por causa da inequação dele no mundo. E é bem interessante ver que as vezes um sentimento tão puro quanto o amor pode se tornar uma obsessão tão forte que pode destruir o ser amado. Confesso que gostei mais da Miranda do filme do que da Miranda do livro. A Miranda do filme tem uma vontade de viver e uma coragem cativantes que me fez torcer bastante para que ela fugisse daquela situação.

No livro mostra também uma certa disputa entre classes sociais, por isso Frederick é colocado com um homem medíocre, reprimido e ressentido, enquanto Miranda é bela e refinada. Quem leu em Inglês comenta que a diferença de linguagem entre Frederick e Miranda é mais perceptível. Tive a impressão quando li da primeira vez e ainda mais forte nessa releitura que Miranda mostra  e talvez represente um certo preconceito e desprezo que a classe artística sente pelas pessoas comuns a que classifica como pessoas pequenas por não se engajarem em suas causa geralmente utópicas, quererem seguir suas vidas de uma maneira, visão deles mais passiva. Achei a parte de Miranda na primeira leitura arrastada e eu não gostava muito dela, embora tenha me compadecido da vontade dela de fugir daquele lugar.

Tanto o filme quanto o livro são ótimos e bem influentes ainda hoje e valem muito a pena pela história de obsessão e até onde ela nos leva.

 

Sem categoria

De volta!

ce37934adbd6d28ebb134ff8279bbe56

Um pots bem rápido hoje para anunciar que nos próximos dias retornarei ao blog. Espero que dessa vez seja definitivo. Li muita coisa, estou com a leitura de dois grandes livros e comentarei tudo aqui no blog. E farei outras postagens além dos livros de vez em quando.

Até breve! 🙂

literatura, Livros, Sem categoria

Meu primeiro ídolo na Literatura

marcosRey-848x400

Resolvi criar um post para declarar meu amor aos livros de Marcos Rey.  Sempre gostei muito de ouvir histórias quando pequena,lia os  quadrinhos da Turma da Mônica e da Disney e alguns livros que encontrava em casa ou na casa dos meus avós, mas foi a partir do livros de Marcos Rey que eu encontrei o amor pela literatura, especificamente a Literatura Policial e Suspense. Se eu não me engano, foi uma citação num dos livros dele sobre um conto de Edgar Allan Poe, que me fez procurar sobre esse grande mestre da Literatura na biblioteca da escola e me apaixonar pelos contos e poesias de Poe e depois eu conheci os livros do Stephen King.  

Sim, eu mesma já comentei aqui no blog que sou fã de Sherlock Holmes desde criança, mas meu primeiro contato com Mr Holmes foi através de filmes e só depois comprei os livros. Foi com Marco Rey que percebi que as histórias policiais e de suspense seguem uma certa lógica, mas não uma lógica chata como em uma aula de Matemática, mas uma lógica perceptível no mundo real. Uma investigação policial é feita com pistas deixadas pelo criminoso e isso acontece na vida real, onde a polícia trabalha com provas.

Infelizmente nunca tive a chance de conhecer Marcos Rey e dizer a ele o quanto ainda amo as histórias dele, mas até hoje agradeço a ele por de certa forma ter me apresentados bons autores e suas obras e ter me dado o amor pelos livros. O livro dele que  eu mais gostei foi ‘’ O mistério do cinco estrelas’’. Em breve pretendo comprar alguns livros dele para matar a saudade e quem sabe deixar aos meu filhos.

 

Foto encontrada no Google.com

Sem categoria

O que faz alguém feliz?

ce37934adbd6d28ebb134ff8279bbe56

 

Eu repito essa pergunta sempre que eu fico sabendo que  alguém que tem tudo aquilo que supostamente nos traz a felicidade plena comete suícidio. Em parte, sim, eu me refiro ao Chris Cornell, mas também outros casos de pessoas que têm beleza, uma carreira de sucesso, saúde perfeita e uma família.

Creio que há um vazio espiritual nos dias de hoje, pelo menos no Ocidente, e  isso leva as pessoas a buscarem satisfação no prazer efêmero e logo voltam ao vazio de sempre. Também acho que no caso das pessoas que aparentemente têm tudo é mais difícil pedir ajuda para suas angústias e medos, justamente porque elas têm aquilo que consideramos ‘’ a felicidade’’, então não consideramos o sofrimentos dessas pessoas real, e nisso, eu admito que me incluo. Talvez seja inacreditável demais ver que alguém que realiza os sonhos nossos sonhos e que nós mesmos não conseguimos realizar sofra. ‘’E como alguém assim pode ter problemas e sofrer?’’ Nos perguntamos. Parece até que as pessoas têm obrigaçãõ˜de serem felizes ou de procurar pela felicidade.

Francamente eu não creio numa felicidade permanente aqui na Terra, acho que felicidade ou tristeza eternas são algo que se alcança após a morte dependendo das obras da pessoa em vida. Eu também não creio que seja possível uma sociedade totalmente pacífica, mas esse é outro assunto. Nesse mundo temos muitos momentos felizes e muitos momentos tristes e é justamente isso que torna a vida legal. Mas isso são apenas opiniões e crenças minhas